domingo, 19 de dezembro de 2010

Valeu Laerte !

Contra toda e qualquer caretisse ! a reportagem do Laerte foi genial, pena comentarios tão conservadores !
leiam :
share

CERVEJA REINCIDE NA DISCRIMINAÇÃO RACIAL E DE GÊNERO

CERVEJA REINCIDE NA DISCRIMINAÇÃO RACIAL E DE GÊNERO

Não beba devassa, denuncie, assine,  !
Há tempos nao via um racismo tão explicito ! afffff ....  ainda há muita luta !

Raça e Gênero foram as duas invenções humanas responsáveis pelo sofrimentos de milhares de humanos .As duas juntas colocam a  mulher negra em uma das posições mais desconfortáveis  quando pensamos o lugar simbólico e social que estas ocupam em um mundo onde o homem branco adquire privilégios em diferentes estâncias da vida,  que engloba afetividade, condições sócio-economicas e etc....
Apesar de toda a luta  para construir lugares simbólicos diferentes dos estereotipados para mulheres, e para a população negra, publicitários  quase criminosos se utilizam destes estereótipos e do imaginário construído pelo racismo e machismo da nossa estrutura social, para fazer o que há  de pior : que as pessoas consumam algo influenciadas pelo sentimento racistas e machistas que estas mesmas  se apropriaram !!
A propaganda que reduz  a mulher negra a um produto que deve ser consumido e sugere que a “verdadeira” negra é reconhecida pelo corpo deve ser punida por crime de racismo  e sexismo!  Colabore  assinando a petição:

 http://www.peticaopublica.com/?pi=P2010N4599

(detalhe que esta publicidade estava na revista "cool" roling stones)

Festival Mundial de Artes Negras de Dakar: 3.500 artistas

Pessoal,

Divulgo aqui. já que a nossa mídia não ajuda, quando coisas belas acontecem !

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Get Up Stand up, Stand for your Rights.

Não agüento mais ouvir gente  reclamando do machismo, do racismo, do capitalismo ...   e outros tantos que  tem consciência critica reclamando do mundo sem fazer absolutamente nada !   somos muitas, somos muitos ... e ai ? No mundo há mais “não brancos”   do que brancos!  Há mais mulheres que homens, mais pobres do que ricos,  e até quando ??  Se você se revolta com tudo isto e não faz simplesmente nada é mais um a compactuar . Por isto, por menor que seja se posicione  quando você ver alguém em casa, alguém querido, ou alguém desconhecido com atitudes racistas, machistas, ou classista  APONTE, FAÇA BARRACO, CARA FEIA, DENUNCIE  participe de movimentos, manifestações tome alguma atitude !  Racismo, Machismo e  classismo não devem ser tolerados, por maior  o afeto que você possa ter com a pessoa que pronuncia ou age assim !

“Se soubesse que o mundo se desintegraria amanhã, ainda assim plantaria a minha macieira.O que me assusta não é a violência de poucos, mas a omissão de muitos.Temos aprendido a voar como os pássaros, a nadar como os peixes, mas não aprendemos a sensível arte de viver como irmãos.”






sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Imagem é tudo, sede não é nada! Ou a felicidade do facebook alheio !


Imagem é tudo, sede não é nada! Ou a felicidade do facebook alheio !

Hoje conversando com uma amiga que, assim como a grande maioria da população, estava se queixando pelo fato de não estar muito feliz com alguns dos acontecimentos de sua vida pessoal percebi que havia uma grande ilusão sobre a possível felicidade dos outros.

Em um dos momentos  da conversa ela disse que se sentia mal por estar triste quando todos os outros pareciam felizes. Perguntei a ela de onde ela havia tirado a idéia de que “os outros” todos estavam felizes,  e ela me deu um exemplo sobre a "possível felicidade" que aparecia nas mensagens diárias do facebook de uma terceira pessoa.

Sobre esta possível felicidade, eu disse a ela que não acreditava exatamente nesta felicidade “apresentada” pelos outros.

Não acredito pela seguinte razão: acho quase impossível alguém se sentir “satisfeito” no mundo de exigências super narcísicas que nos encontramos ultimamente. (estou falando dos "alguéns" que compartilham, se submetem,  compactuam ou almejam esta "felicidade" imposta pela cultura de massa,  e, que, participam e postam nas redes sociais esta "tal" felicidade, assim como  subjetivam as propagandas de felicidade midiáticas, e não daqueles que estão à margem disto)

Dentro dos  inúmeros imperativos  e exigências para se “atender” a esta tal da “felicidade” vendida por aí   cito alguns exemplos, que me lembro agora, do que a pessoa precisa “ter” ou “ser” para alcança - lá:

1-    bonito- o que, para a grande massa que constrói seus ideais de beleza pela mídia significa ser/ter:
a)magro(a), mas porem com músculos e curvas ( diga se de passagem que na realidade de mais de 90% da população só é possível ter curvas quando não se é magro, ou então é preciso de silicone)
 b)alto para homens e mediano para mulheres,
 c)ser branco porem bronzeados.
 d)cabelo lisos e de preferência claros.
2-    Ser um(a) profissional bem sucedido(a)
3-    Para as mulheres é preciso ter “alguém”
4-    Para os homens é preciso ter vários “alguém”
5-    Vida social ativa, e muitos amigos.
6-    Apartamento ou casa própria
7-    Carro, ou morar em bairros bem servidos de transporte publico.
8-    Dinheiro.
9-    Vida sexual ativa.
10-Família “estruturada”
11-Etc.

Pensando que é  humanamente impossível que alguém consiga ter tempo  de construir uma carreira, ir na ginástica, fazer plástica, bronzeamento artificial, ou alisamento de cabelo, sair com a mulher ou marido, dar conta de visitar a família, beber a cerveja com os  amigos , assistir o último filme em cartaz,  ter uma casa própria, seguro de saúde, ter amantes, trocar de carro novo todo ano novo,   trabalhar fora , cuidar dos filhos, chegar em casa e ainda dar uma trepada “fenomenal”(e obviamente ter orgasmos múltiplos) e  depois postar tudo isto no facebook via iphone.

Argumentei que não acreditava e pronto, pois se a pessoa conseguiu fazer tudo isto a possibilidade dela  estar infeliz também é muito grande, pois ou ela estará estressada ou muito presa a imagem. E quando esta imagem é auto-exigida, por mais perto que a pessoa chegue dela sempre há um dos pontos que é impossível, pois a imagem nunca é realidade.

Ai resolvi olhar o meu próprio facebook  tentando “pescar” se por acaso eu parecia ser/estar “feliz”:  cheguei a conclusão que sim !!  vi que tenho mais de 400 amigos (mesmo que de fato fale com menos de 10 deles), fotos lindas com uma família “super feliz”, fotos de viagens, pareço uma profissional bem sucedida, que toma cerveja com os amigos,  e mora em uma cidade linda na Califórnia.

 E tudo isto está postado no meu próprio facebook em um dos momentos mais solitários e tristes da minha vida...  Ai tentei entender o porque, e onde estava a "incongruência":  Percebi que a imagem não correspondia a realidade pelo simples fato que não coloquei e nem tirei foto no enterro de alguém muito próximo que acabou de morrer (e se fizesse ia parecer no mínimo de mal gosto, ou mórbido), bem como não há fotos nem comentários nos momentos em que estou sozinha em casa chorando por aquilo que me deixa triste (como haveria de ter? quem é que resolve tirar uma própria foto chorando pelos cantos ?) , muito menos aparece lá aquelas pessoas que deixaram de falar comigo,  ou a briga que tive com alguém querido. Por isto, minha querida amiga nunca acredite no facebook alheio. Não porque o “outro” esteja mentindo, mas simplesmente pelo fato que ninguém tira foto da briga com o namorado, mas tira na hora do casamento. Ninguém pega uma maquina  quando está chorando, mas obviamente o faz quando se junta com os amigos... assim como ninguém quer lembrar dos 345 dias que passou sozinho, mas sim daqueles 20 dias   em que compartilhou a vida com as pessoas queridas... 


Assim é o facebook alheio, bem como o seu próprio !

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Quem são os "outros" ?

Quem são os “outros” ?

Diversos psicólogos sociais, sociólogos, antropólogos e cientistas sociais tem se dedicado a escrever sobre as questões identitarias que envolve quem somos nós e quem são os outros. “Nós” e os “outros” sempre  se diferenciam por fronteiras de poder, desigualdade e discriminação que normalmente são justificadas e naturalizadas por questões culturais, de classe, raça, etnia, nacionalidade, regionalidade etc... Não é meu interesse dissertar sobre isto por aqui, para quem quiser aconselho Norbert Elias(insiders e outsiders), Edward Said (orientalismo) Alberto Melucci entre outros.
Infelizmente, não posso fazer uma teoria sociológica sobre o assunto, mas arrisco aqui a falar sobre o que venho escutado em diferentes lugares sobre quem são os “outros”. Reparei o seguinte : aqui na Califórnia os americanos vivem dizendo que os mexicanos são pobres e não melhoram a vida porque tem muitos filhos. No Brasil a elite vive dizendo que pobre é ignorante e por isto tem muito filho. Na frança  são os ventres das mulheres árabes  os responsáveis por aumentar a população árabe e estar acabando com a “cultura” francesa.  Enfim, minha teoria é a seguinte, quando você estiver em um lugar diferente e quiser saber quem são os outros indesejáveis procure saber quem é que  tem muitos filhos !(na visão da sociedade majoritária que você estiver).  Ou seja, os outros são sempre aqueles que tem muito filhos !

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Ninguém nasce racista !

                      Por uma Infância sem racismo !


medo de Amar e medo de não Amar...

                                            Medo ?  quem é que não tem  ??

Ai ... Lenine e Julieta Vegas nos ajudam a pensar sobre ele :



segunda-feira, 29 de novembro de 2010

O novo reality show americano.- bridal plasty

Pasmem !!  O novo reality show americano trata-se de 12 noivas prestes a casar que irão concorrer a um premio, e adivinha o que é ?  Um nariz novo, uma bunda nova, um peito novo ! enfim um shape novo !  Quem das doze noivas ganhar o premio, ganha as cirurgias que quiser para fazer um novo look.  E o noivo ? este só poderá ver a nova noiva na hora do casamento quando levantar o véu !!   Aos meus ouvidos isto lembra os tempos bíblicos,  lembre que Jacó só viu a noiva no casamento, e por isto casou com a Lea, quando a noiva prometida era a Rachel !

O mais incrível disto tudo é que as noivas se candidatam a isto , milhares delas ! e acham que isto é um premio !!  Qualquer outro comentário sobre o fato é  pura análise desnecessária, pois para qualquer leitor critico  do vídeo abaixo, nada mais é preciso comentar !!   A idéia opressora que combina casamento com beleza padronizada  é  um pouco mais do mesmo ! triste !



participem !


quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Fascista ? O Texas pode ser aqui também !


Para quem leu meus posts sobre as bizarrices norte americanas e as leis anti-imigrantes, não pensem que nós brasileiros estamos salvos !   Passeando pela beira mar sul , na linda ilha de santa Catarina olhei para o carro ao lado  e para a minha surpresa olha o que ví:





sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Nao discuto com o destino, o que vier eu assino (Leminski)

   


é engraçado como  a ilusão de controle sobre a vida toma conta  de nossa razão de forma tão irracional. Meio contraditório isto né? como é que algo tão irracional pode ter um lugar tão grande dentro da racionalidade humana? O Fato é que conheci pouquissimas pessoas  que realmente vivem a vida com a certeza do nao controle, em geral achamos que controlamos nossos passos.

A esta altura da vida já devia ter me dado conta que o destino é mais criativo do que imaginamos, e bem diferente de nossos planos.  Desde pequena faço projetos e me prometo atitudes que são simplesmente irrealizáveis, pois  a vida vem toma conta e muda tudo de forma quase oposta daquilo que eu havia me prometido. 


Pelo  menos uma coisa aprendi: quando a vida muda tudo e vira nossos planos de ponta cabeça,  aceito e não remo contra a maré! Então que venha !


O destino baralha as cartas, e nós jogamos. ( Arthur Schopenhauer) 

Nao discuto com o destino, o que vier eu assino (Leminski)

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Será que é preciso avisar ?


Camiseta criada e doada por :Radji Schucman

A paulistada e seu complexo de superioridade !

Eu, como paulistana, por muito tempo cresci em um ambiente onde todos imaginavam que  fora dalí, daquela zona oeste , cheia de pessoas brancas, de classe média, meio intelectual, meio de esquerda, meio descolada, meio cool e sei lá mais o que não haviam seres que pensavam criticamente. Não, cresci com o racismo, a xenofobia e o sentimento de superioridade tosco dos conservadores de direita, mas confesso que cresci com um sentimento de superioridade tão tosco quanto, aquele da elite “intelectual” pensante de pessoas que estudaram em colégios experimentais. Graças ao meu pai, com 15 anos eu sai daquele ambiente onde todos éramos quase iguais, pensávamos iguais, gostávamos das mesmas musicas, mesmas roupas e freqüentávamos mesmos bares . Sai de São Paulo, convivi com muita gente do interior e de todos os estados brasileiros, onde ninguém tinha ouvido falar destas escolas, muito menos sabiam onde ficava a zona oeste,  e para minha surpresa?? TODOS  PENSAVAM , e pensavam muito, de todas as formas, as mais diversas e criticas possíveis.... Fora de São Paulo as pessoas conseguiam olhar para elas, e para os outros, sabiam de suas existências, e da existência do mundo, foi ai que percebi o quão São Paulo, e aquele ambiente havia me feito uma pessoa bem pior, e numa luta constante fui desconstruindo cada preconceito que havia adquirido naquele ambiente, me abrindo para o mundo, e entendi na pratica a idéia de “centro” e “periferia” . Centro só se acha o centro porque se coloca em uma relação hierárquica com outros lugares.  Sabe, quando os brasileiros de São Paulo viajam  para a Europa e Estados Unidos e se sentem ofendidissimos quando estes perguntam a eles se  tem carro, luz ou etc no Brasil ?  Da onde vem este sentimento ?  Este sentimento de ofensa nunca foi uma defesa do Brasil, mas sim uma tentativa de se aproximar a este “outro” europeu ou norte americano, que com estas perguntas estavam fazendo o mesmo que muitos paulistanos fazem com os nordestinos e com o norte ! Sim Paulistada, Graças a deus eles pensam !!!!!
Escrevi isto em homenagem a este vídeo que achei no youtube ! assistam, é de ficar perplexo(a) !                                                                                                                                                                                                  

                                                                                                                      

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

coragem


"O correr da vida embrulha tudo, a vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem.” (Guimarães Rosa, Grande Sertão: Veredas)

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Tanto faz , ou a vida sem paixão


Tanto faz .
Você já pensou em quem vai votar ?
---Tanto faz !
Querido, você quer alguma coisa de especial para comer hoje ?
---Tanto faz!
Prefere salada  ou carne?
----Ah tanto faz, qualquer um !

A pessoa  anda na  rua, e não olha as flores, as frutas , as cores, os meninos que dormem em quanto os carros passam, a construção ao seu lado, o céu azul (podia estar cinza, tanto faz),  a moça bonita, o sorriso do garoto, as pernas torneadas da bela morena, nada afeta, nada toca e a vida vai assim sem doer e nem arder !
Costumo chamar estas pessoas de tanto faz... nunca  consegui entender direito de onde elas vem , e para onde vão. Nunca entendi a vida sem paixão.  Sempre me perguntei se  isto é medo da vida !  E de tanto medo de perder a vida, acabam por perde-la ...
Ontem  olhando as montanhas e andando pela cidade tocou no meu mp3 uma musica que nunca havia ouvido,  e que talvez descreva bem este tipo de pessoas que sempre foram para mim uma alteridade quase inalcançável  e por isto sempre me deixaram curiosa .... Já que aqui,  a preferência sempre foi por aqueles que ardem e que morrem de desejo. Compartilho aqui a bela musica “ o velho” :

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

“ Divorce Insurance” ou melhor , seguro separação !

“ Divorce Insurance” ou melhor , seguro separação !

Em mais  um destes dias em que perco meu tempo num misto de não saber o que fazer, insónia e vontade de entender o lugar que estou liguei a T.V na CNN, e ai estava passando  uma reportagem com advogado que estava fazendo a propaganda do novo produto de uma empresa de seguros... Adivinhem ? Seguro divorcio !  Isto mesmo, o fulano casa e junto com  o seguro da casa , do carro , prestação da televisão de plasma , geladeira, fogão,   plano de saúde , escola do filho, plano que paga o caixão e o pedaço de terra no cemitério  etc... ele também coloca nas contas mensais o seguro divórcio !  Diga-se de passagem , nunca vi tantas empresas de seguros ! E da-lê ganhar dinheiro com o pavor dos outros, ou melhor ninguém sabe o que vem antes a produção do pavor para vender os seguros ou se  a existência dos seguros provocam o pavor , ou tudo ao mesmo tempo agora !

O tal do seguro divórcio é algo que, caso você se separe não precise pagar advogado e etc. Na hora da separação o seguro paga todo o processo.

Para os mais pragmáticos pode parecer uma idéia genial, afinal se formos pensar realisticamente grande parte dos casamentos hoje em dia se acabam.  E aqui, como muitas pessoas acabam tendo que se casar exatamente para pagar um plano só de saúde, pode fazer sentido também pagar seguro divorcio. Mas ai fiquei pensando como se da o tal do seguro ? como que o sujeito faz ? na hora de casar ? faz sozinho ? ou fala para a mulher (ou marido) .
----  Amor, vamos hoje no advogado fazer nosso seguro divorcio, depois a gente pode jantar fora e passar num motel ? o que acha da programação ?
----Sim, minha linda, boa ideia, agente não pode esquecer de levar umas fotos para provar que estamos estáveis !  Claro, meu bem . vou pegar aquelas fotos em que agente foi viajar e prometemos amor eterno, lembra ?  Sim estas são otimas !!  

Conseguem imaginar um casal falando isto e indo assinar um papel de seguro divorcio ? Parece quase um conto surreal !  Na propaganda do “divorce insurance”  pedia para provar que o casamento esta estável na hora que você faz  o seguro. Afinal não vale fazer quando você já sabe que vai se separar. Tipo plano de saúde, que tem a tal de carência e eles não cobrem doenças anteriores e tal !

Normalmente sou bastante realista, mas não quando se trata de amor !  quem paga seguro divorcio, na minha opinião, não deveria se casar nunca !  Eu ainda acredito que “o amor pode ser eterno novamente” ! Frase genial do  Nelson Cavaquinho que quando usa a palavra novamente  para aquilo que é eterno já diz tudo ! sim, um dia foi eterno e se acabou ... Mas será eterno novamente ! 

domingo, 17 de outubro de 2010

Ao som de Klezmer, desculpa para discriminação pouca, é bobagem !


Desculpa para discriminação pouca, é bobagem !

Existe um fenômeno incrível nos E.U.A. 25%  da população já foi presa um dia! Também pudera, um lugar onde as penitenciarias são privatizadas, cada pessoa    dentro é lucro  para o dono. Mas  vamos  por parte !  Queria contar  uma história que começou feliz.
 Depois de um dia meio “depre” em casa escrevendo tese resolvi que precisava sair. Afinal,  mesmo gostando da minha própria companhia é  necessário lembrar que há  mundo lá fora. Andando pela rua ouvi uma musica longe, era algo do leste europeu, minha paixão pelos sopros e violinos me fez ir correndo até lá. Havia um grupo de meninos húngaros lindos e felizes tocando no meio da calçada algo parecido com Klezmer, de repente um grupo de gente fez uma roda e começou a dançar. Achei que  finalmente havia encontrado um momento onde as pessoas estavam espontâneas... Ai entrou na roda de dança um mexicano que esta ali meio bêbado, meio feliz e meio dançando com todos. Apos 10 minutos a felicidade foi interrompida pelos guardiões da “ordem”. A policia chega e diz:
----Do not Block the sidewalk ! ( nao bloqueiem a calçada), e  olhando para o mexicano : You have to go home ! you are drunk !
O mexicano ficou parado olhando, a roda parou de dançar, a policia voltou e disse : So if you are not going home , you go to the jail.
De repente vi dois policiais algemando um cara  que estava apenas se divertindo “mais que o devido” . Fiquei olhando a cena perplexa sem saber o que fazer, o cara foi embora preso , os músicos voltaram a cantar e os americanos a dançar(estes são permitidos bloquear a calçada). E como eu também nao sou daqui,  fiquei ali parada em estado atônito  também ouvindo a musica !  E para quem nao sabe o que fazer nestas situações também deixo aqui a companhia da musica que ficou ecoando em meus ouvidos até agora.  Que afinal, é bem apropriada, lembrando os milhares de judeus que foram arrastados ao som destes belíssimos violinos e sopros! Cena de encontro dos judeus e ciganos no filme "o trem da vida"

sábado, 16 de outubro de 2010

Quem topa colocar a lei em prática ?

Esta eleição esta me dando náusea ! Não imaginava que podíamos chegar neste nivel ! Parece que a forma de politica Americana contaminou o Brasil, aqui é uma polemica imbecil sobre a vida sexual dos candidatos e etc ... aff. Coisa mais hipócrita que já ví nesta vida é o assunto aborto . Tenho vontade de perguntar  para quem é contra se eles realmente topam que a lei  seja colocada  na realidade, iam todos ter mães, mulheres, filhas e amigas presas, alem disso precisaríamos construir  5 prisões de capacidade máxima por ano para colocar as mulheres que fazem aborto, e óbvio orfanatos para os filhos já nascidos, alem  dos homens que teriam que ir visitar suas companheiras no presidio!  affff 
Eu mesmo ia ter grande parte de  minhas amigas presas !   Enquanto isto quem morre são as mulheres pobres , pois  a classe media vai nas clínicas caras, em sao Paulo todo mundo sabe o nome : rua do crime do padre amaro, ou melhor Av: Eça de Queiroz na Vila Mariana ! Virou torcida de futebol, as pessoas  não olham os dados , mas torcem  para os candidatos ....tipo sao paulo x corinthians ! E eu, como sou corinthiana  e nao posso votar também vou torcer  ! DILMA !

Brasil butt lift.- Ou em português, Bunda brasileira “empinada” .


Brasil butt lift.- Ou em português, Bunda brasileira “empinada” .

Cheguei em casa hoje meio desanimada,  e liguei a televisão. Vocês conseguem imaginar uma televisão pior que a T.V aberta brasileira ? A Americana  consegue ser ! Enfim como era de  imaginar nao achei nada para ver, e parei em um desses canais  que vendem coisas pela televisão, quando de repente  vi uma propaganda de venda de D.V.D  de ginástica chamado Brasil Butt Lift, era o seguinte: Você pode comprar o C.D  ligando para um tipo de  0800 pagando 4X  de 20 dolares ou algo parecido  para entregarem na sua casa . E ai o que acontece ? Você  segue as instruções do vídeo, faz ginástica e ganha para seu corpo uma “bunda  brasileira” Acho que não preciso comentar nem os estereótipos nem nada mais sobre o absurdo dito .  E eu  que estava com duvida o porque a palavra “hot”  quase sempre vinha antes do Brazilian. Agora consegui entender !  Para quem não acredita  vai o vídeo para ver ! ou escreva brasil butt lift no youtube !

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

As vezes longe é muito longe.

Estranho não é estar  longe de casa,  mas sim estar longe daqui.

Andando pelas ruas de Santa Barbara vejo todos os dias gente de todos os cantos, são mexicanos, africanos, porto riquenhos, cubanos…  Quase sempre me pergunto, da onde estes imigrantes tiram tanta força, para recomeçar e viver no “sonho Americano”. Me lembro de uma amiga que saiu do Brasil e diz assim: Ninguém sabe o que veio fazer nos Estados Unidos, mas todo mundo sabe porque saiu do Brasil. Imagino que para estes imigrantes a vida em casa estava tão difícil que  não tiveram outra opção.
 Eu, no entanto, vim para ficar apenas um ano, e entendo que longe não é estar fora de casa, mas sim estar bem longe  da onde você esta. Não é o sentimento de saudades que me faz sentir longe, mas sim a distancia das coisas daqui.



Quando não entendemos.



"Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender. Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras. Sinto que sou muito mais completa quando não entendo. Não entender, do modo como falo, é um dom. Não entender, mas não como um simples de espírito. O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida. É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco. Não demais: mas pelo menos entender que não entendo." (Clarice Lispector)

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

República Fundamentalista Cristã


São Paulo, segunda-feira, 11 de outubro de 2010
VLADIMIR SAFATLE

República Fundamentalista Cristã

Um poder moderador vigia o debate político e impede que pautas de modernização social cheguem ao Brasil

FUNDADA EM 31 de outubro de 2010 após a expulsão dos infiéis do poder, a República Fundamentalista Cristã do Brasil apareceu em substituição à República Federativa do Brasil. Dela, ela herdou quase tudo, acrescentando uma importante novidade institucional: um poder moderador, pairando acima dos outros Três Poderes e composto pela ala conservadora do catolicismo em aliança com certos setores protestantes. 

Os mesmos setores que, nos EUA, deram suporte canino a George W. Bush. A função deste poder moderador consiste em vigiar o debate político e social, impedindo que pautas de modernização social já efetivadas em todos os países desenvolvidos cheguem ao Brasil.

Na verdade, a fundação desta nova República começou após uma eleição impulsionada pelo problema do aborto. Procurando uma tábua de salvação para uma candidatura que nunca decolara e que passou ao segundo turno exclusivamente por obra e graça de Marina Silva, José Serra resolveu inovar na política brasileira ao instrumentalizar politicamente os dogmas mais arcaicos deste que é o maior país católico do mundo.

Assim, sua mulher foi despachada pelos quatro cantos para alertar a população contra o fato de Dilma Rousseff apoiar "matar criancinhas" (conforme noticiou um jornal que declarou apoio explícito a seu marido). 

As portas de seu comitê de campanha foram abertas para os voluntários da TFP, com seus folhetos contra a "ameaça vermelha" capaz de perverter a família brasileira através da legalização da prostituição e do casamento gay (conforme noticiou o blog do jornalista Fernando Rodrigues). A internet foi invadida por mensagens "espontâneas" contra a infiel Dilma e o PNDH-3.

José Serra já havia dado a senha quando afirmou, em um debate, que legalizar o aborto seria uma "carnificina". Que 15% das mulheres brasileiras entre 18 e 39 anos tenham abortado em condições indescritíveis, isto não era "carnificina". 

Carnificina, para Serra, seria o Brasil importar esta prática tão presente na vida dos "bárbaros selvagens" que são os ingleses, franceses, alemães, norte-americanos, espanhóis, italianos, ou seja, todos para quem o aborto é, pasmem, uma questão de saúde pública e planejamento familiar.

Confrontada com esta guinada, a "classe média esclarecida" não se indignou. As clínicas privadas que fazem abortos ilegais continuariam funcionando. O direito sagrado de salvar a filha de classe média de uma gravidez indesejada continuaria intacto. Para tal classe, o discurso sobre "valores cristãos" era apenas uma radicalização eleitoral.

Quando o poder moderador, confiante em sua nova força, começou a exigir que o criacionismo fosse ensinado nas escolas, que o Estado subvencionasse atividades de proselitismo religioso travestidas de filantropia, já era tarde. 

Então, alguns lembraram, com tristeza, dos pais fundadores da República Federativa do Brasil, decididos a criar uma república laica onde os dogmas religiosos não seriam balizas da vida social. Uma república onde seria possível dar a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus. Uma República que morreu no dia 31 de outubro de 2010.

VLADIMIR SAFATLE é professor no departamento de filosofia da USP.

Simpson em uma meta-ánalise de sí mesmo

sábado, 9 de outubro de 2010

O tal do "bom partido"

Relutei muito  para escrever sobre relacionamentos amorosos neste espaço.  Por diferentes motivos  tenho relutado em  ocupar meu tempo  com este  assunto. e aqui  vão alguns deles :

1-    Realmente acredito que em geral as generalizações sobre homens e mulheres  afetam demasiadamente as relações humanas. As pessoas passam a acreditar que há  papeis que devem ser cumpridos por cada qual . E nisto,  boa parte da espontaneidade e do encanto se acabam .

2-    Achar que há formulas e segredos a serem  descobertos para uma “relação”  amorosa  multiplica a chance das pessoas continuarem  os inúmeros jogos  neuróticos   idiotas e que boa parte da  população coloca em pratica. Como por exemplo regras imbecis  que já ouvi muito por ai, e cito algumas: “Se você é mulher não transe na primeira noite.” “Não demonstre interesse caso queira conquistá-lo”  “Nunca ligue no dia seguinte, espere dois dias no mínimo “.  Caso você siga estas regras e a relação aconteça  é ainda mais triste descobrir que foi o jogo  e o mecanismo neurótico que todo mundo já conhece que uniu duas pessoas, e não o encontro.

3-   Acredito que a única coisa que faz duas pessoas ficarem juntas é o desejo de estarem juntas, o resto para mim  é neurose, necessidade, status social, dependência e blábláblá

4-    Esteriótipos e milhões de coisas que escrevem em livros e piadas sobre o tal do  “cara filha da puta”,  o tal do “homem bonzinho” a tal da “mulherzinha” e etc   me dão enjôo pois reduzem os seres humanos a tipos , e  isso constrói subjetividades que acabam por fazer novamente que as pessoas se encaixem e sigam estes padrões como receitas prontas afastando cada qual de seus desejos.

5-   Há outro assuntos  muito interessantes que gosto de pensar , e acho que dos relacionamentos o bom mesmo é vive-los.

No entanto, ontem recebi um e-mail de uma amiga querida que amo muito escrevendo para pedir ajuda  e opinião sobre a “história”  que ela estava vivendo.  Ela  estava se sentido culpada  por nao estar apaixonada por um tal de cara “ideal”  que estava afim dela , o cara era isso e aquilo – o tal do bom partido-  -o tal do bom marido- e ela estava achando que estava se auto-boicotando !!  Depois que li  o e-mail fiquei com uma raiva  danada, nao dela , mas sim desses padrões .  Agora pessoas são mercadorias? O que é o tal do bom partido ?? um cara classe média,  rico, branco,  com status e cara de “bonzinho” ?  E a mulher bom partido ??   estudada , delicada, bonita e submissa ??  Aff.   Abaixo os bons partidos já !
E,  querida amiga:  bom partido é aquela pessoa que você gosta,o resto é Hollywood !  

Vai uma musica para ilustrar   o que geralmente acontece com quem casa com alguém porque ele é "o tal do bom partido"

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Raça, um conceito vazio

Raça, um conceito vazio:   teatro do absurdo ?

Não sei se vocês sabem , mas a ideia de raça foi um conceito que ganhamos da ciência moderna na época do iluminismo, que literalmente  significa “iluminar”. Naquela  época  o objetivo era classificar  os seres humanos, quase assim : se podemos classificar os bichos e as plantas porque não os seres humanos ? Dai tiveram a ideia  imbecil de dividir segundo as cores e feicoes  os seres da mesma espécie.  Que fique claro aqui, que as cores e feicoes foi uma escolha ARBITRARIA ! poderiam naquela época ter escolhido classificar os humanos por baixos e altos, ou pelas pernas finas ou grossas. Enfim, qualquer coisa !  De qualquer modo a ideia é tão absurda e non sense que defendo aqui a  seguinte tese, ela só funcionou porque é  vazia, e algo vazio pode-se colocar qualquer coisa dentro, desde que esteja de acordo com os interesses de quem coloca! Vamos ver se fica claro aqui:  O que é que dá, pois, a aos negros a aparência de unidade? Para responder a pergunta, cumpre voltar à idéia de situação. Não é o passado, nem a cultura (que neste caso são diversas entre os negros)  nem  alguma nação especifica  de onde eles vem, mas estes  se dispõem de uma situação comum,  sofrem racismo, é porque possuem em comum uma situação de racismo, isto é, porque vivem em sociedades  que  os considera negros.  Se pensarmos nas cores humanas podemos ir do preto ao branco em diversas variáveis,  da mesma forma se pensarmos  em altura dos humanos podemos ir de centímetros a metros. Então onde foi que inventaram uma divisão entre o branco e o negro, se na verdade existe uma escala infinita de cores entre estes?  Deixa ver se o paralelo faz mais sentido, é como se fizessem assim : de 0 centímetros até 1,60 é uma raça, de 1,60 cm ate 2 metros outra.  Faz sentido ?
Enfim, o que esta em jogo aqui é entender que pelo fato de ser vazio há como se colocar qualquer coisa, e por isto funciona,  o racismo então não é inerente à condição de ser negro, mas sim uma projeção sobre o  negro, já que os negros são  acusados de coisas absolutamente contraditórias: ora os negros são acusados de preguiçosos, ora de trabalhadores fortes, ora de bons músicos ora de incapazes. Os negros são demasiadamente diferentes entre si, e por estarem em toda parte e se apresentarem de diferentes formas:  de todas as cores –isso mesmo, todas as cores desde o preto, marrom , cinza, branco( para entender isto lembre de comparar com a altura, pois em nosso imaginário raça e cor são conceitos colados , assim como sexo e genero), pobres, ricos, intelectuais, comerciantes, religiosos, ateus, estes servem como receptáculo de todas as diferentes  projeções, já que qualquer predicado atribuído aos negros encontra lugar dentro deste coletivo e corresponde ao interesse discriminatório em diferentes momentos. No entanto, esta projeção ao negro constrói estereótipos e imagens  que colam em nosso imaginário.
Quero dar outro exemplo para mostrar a arbitrariedade da ideia de raça. Eu sou considerada branca no Brasil, sempre fui.  Quando vim aos Estados Unidos mudei de raça e virei algo que eles chamam de “others non white”,  o que quero dizer aqui é que a ideia de raça corresponde aos interesses discriminatorios do lugar em que estamos inseridos. O racismo particular do brasileiro seria a ideologia do branqueamento marcado por uma sociedade hierárquica de desigualdades sociais e racistas no que diz respeito aos negros e aos índios. Sendo assim, o descendente de europeu brasileiro também faz parte da sociedade branca, e, portanto, contribui com o ideal de “branqueamento” da sociedade brasileira. Assim não há interesse discriminatorio que possa me classificar como nao branca ( branco aqui não esta relacionado a cor , mas uma situação de poder e status). Nos Estados Unidos os sul-americanos constituem um problema imigratório logo ha interesses em que eu, uma brasileira, seja considerada - non white-. Assim voltamos ao exemplo da altura. Minha cor é a mesma no Brasil e aqui, assim como minha medida é a mesma :1,65 mas as classificacoes raciais por serem feitas em cima de uma ideia vazia podem mudar conforme o interesse, ou seja e como se 1,65 no Brasil significasse a raça Branca, e nos Estados Unidos 1,65 significasse a raça negra. Da para entender assim que a cor da pessoa nao tem nada a ver com a ideia de raça, mas sim o que esta em jogo são os interesses discriminatorios ?  Desta forma a raça se configura como um conceito vazio e arbitrário que infelizmente faz eco na realidade e produz desigualdades  materiais e simbólicas para os seres humanos que são  classificados como não brancos em diferentes lugares do globo.

"Hay que tener culhones"

No fim de semana que passou fui para São Francisco com um amigo Cubano que foi fazer uma fala sobre anarquismo em cuba. Após a palestra fomos jantar. No carro estava ele, a mulher dele e outro amigo dele. Aconteceu algo que nunca vi no Brasil . Um homem falou para o outro : --- A palestra foi otima, mas preciso te falar uma coisa, quando você disse "Hay que tener culhones!" pode soar sexista ou seja pode significar que apenas homens tem tem coragem , pois mulheres não tem culhones .

O fato é que um homem mostrando o machismo para um outro homem foi algo inusitado para mim,  parecia que eu estava em outro planeta ! E sim, estava em uma cidade e um país onde o movimento feminista fez e faz barulho mesmo , sem medo !! E neste sentido digo que eles não aprenderam isto sozinhos , aprenderam com o movimento feminista e com parceiras feministas que mostraram a eles como funciona a lógica sexista ! Se o movimento feminista brasileiro tivesse feito metade que o daqui fez não ia ser tão normal ver os caras tomando cerveja na frente do jogo de futebol enquanto as mulheres brasileiras lavam as louças ! aff . O racismo e o sexismo brasileiro me dão pavor e pânico ! De verdade me da quase enjoo ver muitas das mulheres brasileiras ( falo daquelas de classe média com pseudo-educaçao feminista) admirando os homens e ao mesmo tempo desqualificando as mulheres, ou se submetendo a um papel de mulherzinha para ser "aceita" por homens médios... E mais pavor ainda homens que não conseguem ter a mínima sensibilidade para a questão de genero , só não são piores que aqueles que tem sensibilidade e mesmo assim não abrem mão dos privilégios obtidos pelo machismo !



Ao combate ja ! E agredeco ao movimento feminista americano que me fez ver uma cena linda destas !

O mistério da PIE on the Face , ou torta na cara !


O mistério da PIE on the Face , ou torta  na cara !

Quando estava no Brasil sempre me perguntava  da onde e como se relacionava cultura com humor. Para mim um dos maiores mistérios era entender os seriados americanos. Tinha sempre uma pergunta: Será que eles acham mesmo engraçado  o fato de jogar uma torta com chantily na cara do outro?  Nos brasileiros temos  em geral um humor bastante ironico e com pitadas sexuais. Entender o que tinha de engraçado no fato de alguém ser “humilhado” era o que estava no ar.  ( ou aquelas risadas dos seriados eram falsas? )   
Pois então, hoje voltando do meu almoço para a biblioteca  uns alunos de graduação precisavam arrecadar dinheiro para festa de formatura e havia literalmente uma  banca que vendia torta na cara. Pera ai , vou tentar explicar.
Você paga um dólar para um aluno e ele vai atrás de um painel escrito pie on the face  e coloca o rosto la , e ai você tem o direito de jogar uma torta na cara deste aluno !
Estou tentando ver isto de uma forma antropologica. Acho que só em um pais como este tamanha violência pode ser tão naturalizada,  Mas o fato e que não consigo de forma alguma entender a pessoa que acha graça em pagar um dólar para atacar uma torna na cara de um desconhecido . Alguém me explica este mistério ? A única conclusão que cheguei e que as risadas dos seriados não eram falsas !
ps: Não acho que os trotes de nossos calouros sejam tão diferentes.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

da descoberta daquilo que te faz bem

                "Cada um descobre o seu anjo
                          tendo um caso com o demônio."                                                     Mia Couto

Para ser grande

Para ser grande, sê inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa. Põe quanto és
No mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive
Fernando pessoa

Abaixo as fronteiras Já !

Hoje em meu trajeto matinal no ônibus para a Universidade reparei que o ônibus  só tinha jovens, dos 20 aos 30,  e um homem de meia idade que devia ter os seus 60 anos. No entanto, na segunda parada subiu um senhor de bengala que devia estar nos seus 80 ...  Ônibus lotado, e para a minha surpresa quem foi a única pessoa que levantou  para o senhor sentar ? o outro “quase” senhor. Eu, que naquele momento já estava em pé fiquei perplexa e me perguntei será que o ser humano só tem empatia quando esta na mesma (ou quase mesma )situação que o outro ?  Este simples trajeto de ônibus fez cair uma lagrima do meus olhos, e me perguntei , será  a falta de empatia uma construção histórica  ou quase um fator emocional ?

Agosto de 2010 e  ainda assistimos , só para dar alguns exemplos .

1-                   a ridícula polemica sobre a mesquita no marco 0  de New York (Diga-se de passagem , mesquita que não é mesquita , e marco 0 que não é 0)

2-                   Crescente  numero de partidos anti-imigrantes nos países que até então diziam se tolerantes e progressistas (Os nórdicos).

3-                   França ( para quem lembra da igualdade, fraternidade e liberdade) proíbe  o uso do véu em mulheres islâmicas.

4-                   Japoneses adultos fazem manifestação racista em frente de escola infantil coreana em Quioto. Vídeo em escola coreana no japao  

5-          O estado do Arizona aprova lei  para mandar mexicanos sem documentos de volta ao México. Discurso geral  do americano médio aqui:
             

Até quando o ser humano vai demorar  para perceber que dividimos  um mesmo destino comum ?  Dividimos o mesmo planeta ! Abaixo as fronteiras já !!!


sexta-feira, 24 de setembro de 2010

A Arbitrariedade das "classificaçoes" humanas

Hoje  fui fazer uma inscrição para um curso aqui na Califórnia, na inscrição pedia nome, endereço, idade e depois algo que eles nomearam de “ethinic background” . Nas opções la estavam :
1-América Indian  or Alaskan Native
2-Asian
3-Pacific Islander
4-African American (non hispanic)
5-White (non hispanic)
6-Hipanic
7-Filipino
8- Other Non-White
Agora alguém me explica que porra isto significa ?? Qualquer coisa menos etnicidade !  Onde se encaixaria o OBAMA ?  ele nasceu no Havaí- (pacific Islander)  mas é Afro-american.  Um africano ? outros Non White ?  E um Brasileiro  branco ? White non hispanic ?  um brasileiro negro ? Outros non White ? um chinês nascido na china ?  Asian ? e um descendente de chinês Há  quatro gerações nos E.U.A ? Asian ?  o que ele tem de etnicidade com o Chinês nascido na china ? se a cultura dele é americana ?? E os dois brasileiros ? correspondem a etnicidades diferentes ou há  fenótipos diferentes?
Este é  mais um dos exemplos  das classificações ridículas e arbitrarias  que os seres humanos fazem para justificar hierarquias e desigualdades ! afff .... E desde quando os mexicanos são hispânicos ? ele e um espanhol branco de olho azul marcam a mesma etnicidade ?: hispânicos ????

BOYCOTT ARIZONA !

http://www.thepetitionsite.com/1/boycott-arizona/

The State of Arizona passed SB1070. This law will call for regular police officers to request documentation from people to ascertain whether or not they are undocumented. This is racial profiling and discrimination, as the officers will be relying on the appearance of people to detain them. Many US citizens and residents will be wrongfully harassed and detained. We can vote with our dollars! Boycott the State of Arizona by vowing not to spend your vacation dollars in that state, whether that be by not engaging in tourism in Arizona, by not doing business within the state, or by not buying anything that comes from Arizona, (paying specific attention to corporations and businesses that support these mean spirited laws like SB1070, as well as, those supporting the likes of Sherrif Joe Arpaio and Senator Russell Pearce) until such a time that this law is overturned or ruled unconstitutional. Racial profiling and discrimination in any way, shape, or form, against any race or ethnic community, must not be tolerated. We must all stand together regardless of our racial and ethnic background. Immigration is a matter for the federal authorities to handle and should not to be delegated to the average police officer who is not trained in immigration law.




Boycott Arizona!

Boycott Arizona!
  • signatures: 3

A Luta Companheiros !

And although it is difficult to imagine our nation totally free of racism or sexism, my intellect, my heart and my experience tell me that it is actually possible.  For that day when neither exists we must all struggle.  - James Baldwin (1924 - 1987

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Noticias da branquidade californiana !

Noticias da branquidade californiana !

hoje o cara americano que mora comigo me falou :
Ainda se estuda racismo neste pais Lia ?  Para que ?
Porque hoje hoje, se voce é negra, mulher, e lesbica tem muito mais privilégios que eu que sou loiro de olho azul ! 
Será que os brancos nao enxergam que eles ganham cotas ao nascerem ?
Fácil alugar uma casa sendo branco ( ninguém acha que vc vai destruir a casa)
Fácil andar na rua sem ninguém esconder a bolsa por medo que  você roube.
Ninguém olha para voce como um grupo , mas sim como um individuo !
Fácil ir em uma farmácia e achar a maquiagem , o creme, e pente para seu cabelo !
Fácil olhar o comercial  de beleza e ver alguém da sua cor !
Isto já  não é cotas para Brancos ????

aff

Pela legalização do aborto já


 Ontem conversando com uma amiga pelo skipe , fiquei sabendo que uma terceira amiga estava grávida e precisava de ajuda para abortar, como  a cidade é pequena , não ha clinica ilegais  como nas capitais , ela teve que apelar pela compra de citotec ilegal no “camelódromo”  da cidade , enfim, depois da tensão, da expectativa, do sentimento de estar cometendo um crime  e de gastar 350 reais , os remédios eram falsos…. Saímos a procura de outros lugares para comprar o remédio clandestinamente, e eu como estou atualmente morando na Califórnia  fiquei na ajuda pela internet , e ai olha o que eu achei:


Agora, o absurdo maior é a pessoa ter que passar por uma humilhação desta e como um amigo meu diz : se homens ficassem grávidos as clinicas seriam na própria igreja ! Afinal como é que os padres fariam com a própria gravidez !!! Quanta Hipocrisia!! Uma fabrica de ganhar dinheiro ilegal, e que ainda bem que existe !! E se todo mundo faz, a pergunta é para que serve esta criminalização ?  E ai empresto as palavras da Maria Rita Khell


por Maria Rita Kehl 18 SET 2010
Entre os três candidatos à Presidência mais bem colocados nas pesquisas, não sabemos a verdadeira posição de Dilma e de Serra. Declaram-se contrários para não mexer num vespeiro que pode lhes custar votos. Marina, evangélica, talvez diga a verdade. Sua posição é tão conservadora nesse aspecto quanto em relação às pesquisas com transgênicos ou células-tronco.
Mas o debate sobre a descriminalização do aborto não pode ser pautado pela corrida eleitoral.
Algumas considerações desinteressadas são necessárias, ainda que dolorosas. A começar pelo óbvio: não se trata de ser a favor do aborto. Ninguém é. O aborto é sempre a última saída para uma gravidez indesejada. Não é política de controle de natalidade. Não é curtição de adolescentes irresponsáveis, embora algumas vezes possa resultar disso. É uma escolha dramática para a mulher que engravida e se vê sem condições, psíquicas ou materiais, de assumir a maternidade. Se nenhuma mulher passa impune por uma decisão dessas, a culpa e a dor que ela sente com certeza são agravadas pela criminalização do procedimento.
O tom acusador dos que se opõem à legalização impede que a sociedade brasileira crie alternativas éticas para que os casais possam ponderar melhor antes, e conviver depois, da decisão de interromper uma gestação indesejada ou impossível de ser levada a termo. Além da perda à qual mulher nenhuma é indiferente, além do luto inevitável, as jovens grávidas que pensam em abortar são levadas a arcar com a pesada acusação de assassinato. O drama da gravidez indesejada é agravado pela ilegalidade, a maldade dos moralistas e a incompreensão geral. Ora, as razões que as levam a cogitar, ou praticar, um aborto, raramente são levianas. São situações de abandono por parte de um namorado, marido ou amante, que às vezes desaparecem sem nem saber que a moça engravidou. Situações de pobreza e falta de perspectivas para constituir uma família ou aumentar ainda mais a prole já numerosa. O debate envolve políticas de saúde pública para as classes pobres. Da classe média para cima, as moças pagam caro para abortar em clínicas particulares, sem que seu drama seja discutido pelo padre e o juiz nas páginas dos jornais.
O ponto, então, não é ser a favor do aborto. É ser contra sua criminalização. Por pressões da CNBB, o ministro Paulo Vannuchi precisou excluir o direito ao aborto do recente Plano Nacional de Direitos Humanos. Mas mesmo entre católicos não há pleno consenso. O corajoso grupo das “Católicas pelo direito de decidir” reflete e discute a sério as questões éticas que o aborto envolve.
O argumento da Igreja é a defesa intransigente da vida humana. Pois bem: ninguém nega que o feto, desde a concepção, seja uma forma de vida. Mas a partir de quantos meses passa a ser considerado uma vida humana? Se não existe um critério científico decisivo, sugiro que examinemos as práticas correntes nas sociedades modernas. Afinal, o conceito de humano mudou muitas vezes ao longo da história. Data de 1537 a bula papal que declarava que os índios do Novo Continente eram humanos, não bestas; o debate, que versava sobre o direito a escravizar-se índios e negros, estendeu-se até o século 17.
A modernidade ampliou enormemente os direitos da vida humana, ao declarar que todos devem ter as mesmas chances e os mesmos direitos de pertencer à comunidade desigual, mas universal, dos homens.
No entanto, as práticas que confirmam o direito a ser reconhecido como humano nunca incluíram o feto. Sua humanidade não tem sido contemplada por nenhum dos rituais simbólicos que identificam a vida biológica à espécie. Vejamos: os fetos perdidos por abortos espontâneos não são batizados. A Igreja não exige isso. Também não são enterrados. Sua curta existência não é imortalizada numa sepultura – modo como quase todas as culturas humanas atestam a passagem de seus semelhantes pelo reino desse mundo. Os fetos não são incluídos em nenhum dos rituais, religiosos ou leigos, que registram a existência de mais uma vida humana entre os vivos.
A ambiguidade da Igreja que se diz defensora da vida se revela na condenação ao uso da camisinha mesmo diante do risco de contágio pelo HIV, que ainda mata milhões de pessoas no mundo. A África, último continente de maioria católica, paupérrimo (et pour cause…), tem 60% de sua população infectada pelo HIV. O que diz o papa? Que não façam sexo. A favor da vida e contra o sexo – pena de morte para os pecadores contaminados.
Ou talvez esta não seja uma condenação ao sexo: só à recente liberdade sexual das mulheres.
Enquanto a dupla moral favoreceu a libertinagem dos bons cavalheiros cristãos, tudo bem. Mas a liberdade sexual das mulheres, pior, das mães – este é o ponto! – é inadmissível. Em mais de um debate público escutei o argumento de conservadores linha-dura, de que a mulher que faz sexo sem planejar filhos tem que aguentar as consequências. Eis a face cruel da criminalização do aborto: trata-se de fazer, do filho, o castigo da mãe pecadora. Cai a máscara que escondia a repulsa ao sexo: não se está brigando em defesa da vida, ou da criança (que, em caso de fetos com malformações graves, não chegarão a viver poucas semanas). A obrigação de levar a termo a gravidez indesejada não é mais que um modo de castigar a mulher que desnaturalizou o sexo, ao separar seu prazer sexual da missão de procriar.
Fonte: Jornal O Estado de São Paulo